Três meses depois da tragédia de Brumadinho, ninguém foi preso - Itabira Online
quinta-feira, abril 18

Três meses depois da tragédia de Brumadinho, ninguém foi preso

Pinterest LinkedIn Tumblr +

As comprovações de que o alto escalão da Vale sabia dos riscos de ruptura da Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão tomam proporções mais robustas a cada novo passo das investigações.

Depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado, em Brasília, de um dos integrantes do setor de gestão Riscos Geotécnicos da Vale, o engenheiro Felipe Figueiredo Rocha, da área de Recursos Hídricos da mineradora, reforça as conclusões da força-tarefa responsável pela investigação da tragédia.

De acordo com o funcionário, os problemas da estrutura foram apresentados tanto à diretoria quanto à diretoria-executiva da mineradora. Passados três meses do rompimento da represa, ninguém está preso pelo crime.

Duas operações comandadas pelo Ministério Público em níveis federal e estadual e Polícia Civil resultaram na prisão de 11 funcionários da Vale e dois engenheiros da consultora alemã Tüv Süd, nos meses de fevereiro e março.

Todos foram soltos dias depois por habeas corpus, cujo mérito foi negado pela 7ª Câmara Criminal Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). A volta imediata à penitenciária foi decretada em meados do mês passado e os investigados chegaram a se entregar para o cumprimento do restante da prisão temporária. Poucas horas depois de serem reintegrados ao sistema prisional, nova liminar do STJ liberou os 13 novamente.


Share.

Leave A Reply

  • E-mail: itabiraonlinemg@gmail.com
    Redação Itabira-Online: (31) 98794-2394
© 2020 Itabiraonline - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Marcos Tulio