Funcionários da Vale presos por tragédia em Brumadinho deixam penitenciária - Itabira Online
segunda-feira, dezembro 11

Funcionários da Vale presos por tragédia em Brumadinho deixam penitenciária

Pinterest LinkedIn Tumblr +

Os oito funcionários da Vale presos desde 15 de fevereiro foram soltos na noite desta quinta-feira. A liberação veio após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que, nessa quarta-feira, considerou desnecessária a prisão dos acusados neste momento das investigações. Eles são acusados de negligenciar os riscos de rompimento da barragem I da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Funcionários da Vale deixaram Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, nesta quinta-feira (28).  — Foto: Reprodução TV Globo

De acordo com a Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais (Seap), os procedimentos para a soltura dos funcionários começou por volta das 18h30. Dois oito, seis homens estavam presos na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Já as outras duas funcionárias estavam no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, na capital mineira.

Funcionárias da Vale deixaram o Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em BH, nesta quinta-feira (28). — Foto: Reprodução TV Globo

De agora em diante, os funcionários deverão aguardar em liberdade a decisão do plenário do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que julgará o mérito da prisão. Até então, eles estavam presos temporariamente; a Comarca de Brumadinho analisou que a liberdade dos envolvidos poderia atrapalhar as investigações.

Como na decisão da Justiça de primeira instância o crime foi caracterizado como homicídio qualificado, a prisão temporária dos funcionários seria de 30 dias, com possibilidade de renovação do prazo, em caso de autorização judicial.

fonte:EM

Share.

Leave A Reply

  • E-mail: itabiraonlinemg@gmail.com
    Redação Itabira-Online: (31) 98794-2394
© 2020 Itabiraonline - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Marcos Tulio

Use os botões das redes sociais para compartilhar esta matéria. Visite mais em www.itabiraonline.com.br